sexta-feira, 10 de maio de 2019

Vamos falar sobre previdência

Você anda preocupado com os impactos que a reforma da previdência trarão para a sua tão sonhada aposentadoria?

Senta aí e pega a pipoca que eu vou te falar algumas verdades sobre esse esquema de Ponzi que é o nosso sistema previdenciário.




Nossa previdência é baseada no modelo "contributivo e solidário", ou seja, uma geração sustenta a outra, o que os sabidos chamam de "pacto intergeracional". 

Funciona muito bem num país em que existem uns 10 trabalhadores na ativa contribuindo para cada aposentado recebendo benefícios e, principalmente, quando a expectativa de vida ao nascer é de míseros 50 anos, como era o Brasil em 1950.

Dessa forma, era possível que as pessoas se aposentassem com 50 e poucos anos, pois receberiam em média por apenas uns 5 anos a aposentadoria. Na verdade, a aposentadoria era um prêmio por ter conseguido viver tanto tempo morando numa latrina subdesenvolvida que mais parecia uma selva repleta de chimpas inúteis.




Essa era a pirâmide etária da população bostileira na década de 50. Apenas 1,3% da população tinha mais de 65 anos. Vou repetir: APENAS 1,3% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA TINHA MAIS DE 65 ANOS! 

Outra coisa, na década de 1950, a taxa de fecundidade no Brasil era aproximadamente de 6 filhos por mulher, passando para 4,5 no final da década de 1970. Sua avó ou bisavó provavelmente teve pelo menos 5 filhos (a minha teve 12).

Colocando em perspectiva, isso significa que havia poucos velhos e muitos jovens. Qualquer sistema previdenciário, por mais bonzinho, solidário e mal gerido que fosse, funcionaria de vento em popa. 

Mas Investidor Concursado, quall é a realidade da previdência no Brasil hoje?





Eis a pirâmide etária do Bostil, em 2015. Já havia 3,3% de pessoas com mais de 65 anos, quase o triplo da década de 50.

Segundo projeção do IBGE, em 2060 já seremos mais de 25% da população de idosos (acima de 65 anos). E mais, em 2015, a taxa média de fecundidade no Brasil já era de 1,72 filho por mulher, portanto abaixo da taxa de reposição populacional, que é de 2,1 filhos por mulher. Por fim, a expectativa de vida deverá superar os 80 anos em 2060.

Novamente, vamos colocar em perspectiva: nos próximos anos, o Brasil será um país repleto de velhos, com muito poucos jovens e menos nascituros ainda. Será praticamente 1 idoso para cada jovem economicamente ativo. No atual sistema de previdência solidária, cada trabalhador da ativa precisará pagar a aposentadoria de um idoso.

Vou fazer um resumo de tudo isso para você:




Mas IC, onde você quer chegar com esse papo? Está defendendo a reforma da previdência que o fascista do Bozo propôs? Você é um funça coxinha?

VAI TOMAR NO SEU CU, animal fétido. Energúmeno. Mentacapto. 

Com tudo isso quero dizer que não importa a reforma que se faça, vai dar merda no final. Essa pirâmide financeira gerida e legalizada pelo estado está fadada ao fracasso. Fim da história. Aceite isso ou vai passar fome na velhice, animal.

Não perco meu tempo discutindo reforma da previdência, se tem déficit ou se não tem, se tem que aumentar a "contribuição" do setor agropecuário ou do escambau. NÃO IMPORTA. Os dados prospectivos estão aí, é IMPOSSÍVEL qualquer sistema previdenciário solidário funcionar no Brasil a partir de 2040. 

A última geração que vai viver de aposentadoria serão nossos pais (pessoas com 50 anos ou mais). Se você está na faixa dos 40 anos ou menos, esqueça que essa bosta existe, "pague o mínimo dentro da lei e não espere nada em troca", nas palavras gentis do Bastter. 

Cuide da sua saúde para trabalhar pelo máximo de tempo e guarde uma parte de tudo que ganha para se sustentar na velhice, quando não puder mais trabalhar. Ou então tenha muitos filhos e cuide bem deles, para que pelo menos eles paguem um asilo decente pra você, ser ignóbil.

Acabou a ilusão de aposentar com 60 anos e ir curtir a vida. ACABOU! Qualquer realidade é melhor que a fantasia, você pode espernear, falar que não existe déficit, que se os políticos não roubarem vai sobrar dinheiro (kkkkkk só rindo de uma merda dessas), que tem que cobrar dos grandes devedores e o caralho a quatro. VOCÊ VAI PASSAR FOME, FILHO DA PUTA!

Acorde! Saia dessa bolha, olhe os números, faça um esforço e junte o tico com o teco do seu minúsculo cérebro lavado com alvejante pela esquerda e enxergue a realidade! 

Num próximo post quero falar especificamente sobre a aposentadoria dos funças. Funpresp, migração pro novo regime, direito adquirido e o escambáu.

Abraço e bom final de semana!

41 comentários:

  1. A previdência vai quebrar e ponto final. Os politicos só estão tentando adiar o quando. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto puderem manter o gado no curral da ilusão de uma aposentadoria, assim o farão.

      Porém, as gerações vindouras não vão suportar carregar esse fardo.

      Excluir
  2. Texto mais claro, impossível. Kkkk

    ResponderExcluir
  3. A maioria dos brasileiros nem sequer deveria cogitar em depender da aposentadoria pública. Todos aqueles que tem condições de formar algum patrimônio, investir etc, deveriam fazê-lo.
    Mesmo porque, mesmo quem se aposentou geralmente ganha bem menos do que ganhava na ativa no momento de sua aposentadoria, o que fez ou fará com que essa pessoa perca boa parte de sua renda é o patrimônio que ela formar e o que ela tem em ativos. Seja investimentos, imoveis alugados, participações em empresas etc.
    Isso não é segredo nenhum, a maioria das pessoas conhecem casos assim, inclusive em suas préoprias famílias.

    Quanto a quem ganha pouco a vida inteira o degrau que terá que descer no momento da aposentadoria será menor, pra quem já está acostumado a ser "pobre" geralmente isso não assusta tanto, porque já não é novidade, mesmo assim seria muito importante buscar meios para não ficar a vida inteira assim, embora reconheça que para muita gente essa transição da pobreza para situação melhor não seja fácil.
    Quem começa do 0 sem apoio externo, praticamente não tem margem de erro na busca pela melhoria de condição de vida.
    A situação mais controversa que vejo hoje são de jovens (18 a 20 e poucos anos) filhos da classe média autêntica e principalmente os filhos da classe média emergente ou o que eu chamo de classe média vileira brasileira (jovens filhos de pais com renda familiar razoável, como pai que ganha 3k e mão que ganha 2,5 u 3k também ou família com renda superior a essa, mas que não tornam essas pessoas 100% IF porque ainda não deu tempo de chegarem a esse patamar). Perfil consideravemente grande em bairros populares não tão pobres de grandes e médias cidades.
    Esses jovens muitas vezes não tem familiares com Q.I., porque muitas vezes seus pais veram de baixo, começaram do 0 etc, não tem network diferenciado nem nada.
    Estão se deparando com mercado de trabalho concorrido, muitos cursos superiores saturados e baixa remuneração, ou seja conseguir o patrimônio que seus pais conseguiram ficou bem complicado, ao mesmo tempo muitos estão acostumados com uma vida relativamente confortável e não vêem nem no curto nem médio prazos condições para terem tão condição de vida por sí próprios.
    Ao invés de encarar a situação de forma objetiva e até mesmo aguerrida, muitos estão meio que tocando o "foda-se" e estão vivendo da renda dos pais até 20 e tantos anos ou trabalhando em empregos de baixa remuneração e torrando quase todo o salário com carros, viagens, baladas e bebidas (tudo vai pro Instagram), sem nenhum planejamento pro futuro.
    Essa parcela da população poderá enfrentar sérias dificuldades a partir dos 30 anos mais ou menos. Aposentadoria então é algo com que eles nem podem sonhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puta merda, essa avaliação dos filhos de classe média emergente foi certeira. Gostei, talvez faça um post sobre essa geração nem-nem.

      Abraço e obrigado pela visita.

      Excluir
    2. Anônimo 10 de maio de 2019 13:19

      Se vc ler isso, entre em contato comigo! Gostaria muito de publicar um texto seu sobre esse assunto no meu blog.

      Se vc tiver interesse em elaborar um pouco mais esse comentário falando das atitudes imbecis dos filhos de classe média emergente, seria muito interessante. Gostei mesmo.

      Se tiver interesse, mande o texto pro meu email:

      concursadoinvestidor@gmail.com

      Se não tiver interesse, eu vou elaborar com base no seu comentário alguma coisa.

      Abraço!

      Excluir
  4. aguardando "migração pro novo regime" - só estou esperando arroxarem os servidores da ativa para pular para o funprespjud

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim, ST? Você nunca pulou desse barco chamado RPPS? Só de 2015 pra cá foram duas oportunidades de fazer a migração. Optei na primeira oportunidade, diminuiu em mais da metade minha "contribuição" previdenciária.

      Esperar arrochar os servidores para vazar? Vai esperar a água chegar ao pescoço para fazer alguma coisa?

      Aderir ao Funpresp-Jud? Nem se eu fosse louco (spoiler do próximo post kkk)!

      Abraço!

      Excluir
    2. Eu sai da Funpresp. Fiquei 1 ano. Fiz até um post sobre. Não vale a pena ficar na mão do governo.

      Abraços!

      Excluir
  5. Nossa poderia ser menos vulgar no texto mas sim não tem reforma que vai dar jeito nisso não. BR quebrou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu repudio totalmente essa patrulha do politicamente correto, mando tomar no cu sim e que se foda.

      Este blog não é ambiente pra agradar geração mimimi floquinho de neve. Mando a real sem meios termos nem ponderação de decoro ou porra do tipo.

      Não tenho adsense nem divulvo meu blog, lê esta merda quem quiser. Não escrevo para agradar ninguém.

      Abraço e obrigado pela visita! #PAS

      Excluir
    2. uma coisa é politicamente correto, outra é falta de educação e grosseria.

      Excluir
    3. Anon, pelo visto você caiu de paraquedas no Blog e na finansfera como um todo.

      Eu utilizo essa técnica de estilística para tornar o texto mais informal e direto, apesar de tratar de um tema caro para muitos. Utilizo termos chulos propositalmente, para impactar mesmo.

      Se você é incapaz de compreender e aceitar isso, talvez seja melhor continuar se informando pelos grandes portais de notícias da internet, que prezam pela utilização do padrão culto da língua portuguesa. Aqui eu vou mandar tomar no cu, sim.

      Abraço!

      Excluir
  6. Olá, IC.

    Eu nem pagaria previdência se não fosse obrigatório.
    Concordo com você. A regra tem que mudar. Se isso não acontecer o Brasil já era.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pagaria somente a parte da seguridade (cobertura para casos de acidente, morte etc.). A parte da previdência (aposentadoria) eu também dispensaria.

      Aguarde que vou apronfundar mais em breve.

      Abraço!

      Excluir
  7. Mas por que usar os dados demográficos dos anos 50 se as atuais regras previdenciárias são dos anos 90?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque o sistema previdenciário atual é o mesmo da década de 50 (regime contributivo SOLIDÁRIO). Pra ser mais exato, o desenho do atual sistema foi concebido na década de 30, após a criação do Ministério do Trabalho.

      A última grande alteração na estrutura na previdência social BR ocorreu em 1966, com a unificação administrativa do sistema e a criação do Instituto Nacional de Previdência Social.

      DEsde então, dudaram apenas regras pontuais de eletividade, tempo de contribuição e cálculo de benefícios, etc., mas o cerne do sistema é exatamente o mesmo de meio século atrás.

      Por isso acho de suma importância compreender qual era a realidade do BR quando o sistema previdenciário foi concebido e entender a necessidade de uma alteração profunda, na prória concepção do que vem a ser um sistema previdenciário.

      Abraço!

      Excluir
    2. Mas essa forma de avaliação é um erro grosseiro. A mudança da composição demográfica pode ser compensada tanto com a mudança do regime previdenciário quanto das regras de aposentadoria. Em outros termos, se a composição demográfica nacional foi alterada e o modelo se tornou insustentável pode-se alterar o regime (e então cada um é responsável pela própria aposentadoria) quando pode-se alterar as regras de aposentadoria. Com uma contribuição maior e por mais tempo é possível, em tese, manter a higidez do sistema previdenciário. A Alemanha tem uma população muito mais envelhecida que o Brasil e não fez essa migração de regime. Você deveria estudar realmente o assunto antes de espalhar bobagens pela internet.

      Excluir
    3. Quer comparar a alemanha com o BR e eu que tenho que estudar. Piada.

      Não vale a pena discutir com você, anon.

      Continue se iludindo, achando que uma emenda qualquer no sistema vai garantir "a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância e a assistência aos desamparados".

      "essa forma de avaliação é um erro grosseiro"

      Erro grosseiro é achar que o governo vai cuidar de você na velhice, independentemente do modelo ou do regime previdenciário adotado.

      Investidor Concursado

      Excluir
  8. Fala IC!!! Meteu a real, como diria o outro! Estamos fodidos e mal pagos! Por isso que aportar é essencialmente importante, ser refém do trabalho é ser mais um ruminante para o abatedouro! Um abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Funça! Nada a acrescentar, resumiu a porra toda.

      Obrigado pela visita. Abraço!

      Excluir
  9. Pior que no meu trabalho 90% não poupa e 95% não investe. Estão nem aí com a bagaça. O que me deixa irritado é ver que a alíquota previdenciaria morde, desde 2014, 14,25% do meu vencimento e sei que jamais irei ver esta grana. Pode apostar que daqui uns 10 anos vão aumentar para 20%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas como não posso desvincular disso, vou aportando por fora todo mês além de pensar em outras fontes de renda extra.

      Excluir
    2. Fala, Gari. Pela projeção do envelhecimento da população, para bancar o atual sistema, em breve a contribuição deverá chegar a 30%.

      Ainda bem que no SPF foi criado esse regime de previdencia complementar, sendo facultado aos servidores migrar pro novo regime e limitar sua contribuição à do teto do INSS (~600 bonoros), limitando tbm a aposentadoria.

      Não pensei duas vezes.

      Abraço!

      Excluir
  10. Boa postagem, IC. Comentei sobre isso no trabalho recentemente, falando exatamente que a matemática não iria fechar independente do que o governo fizesse e me olharam como maluco. A maioria lá onde trabalho tem mais ou menos a minha faixa etária (25~30 anos) e NINGUÉM se preocupa em se preparar financeiramente para daqui 20, 30 anos. Todos contam apenas com INSS. Inacreditável. Fico feliz por ter caído na real e iniciado minha caminhada.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Caralho, aloprou rsrsrrs
    Resumindo seu texto...o último apague a luz!
    kkkk Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, IS.

      Poderia ter resumido tudo só com essa frase mesmo!

      Abraço!

      Excluir
  12. Uma análise rasa e totalmente dissociada da função social que a previdência representa, provavelmente porque você nunca deve ter passado por uma situação de risco social.Se queria falar sobre este assunto, poderia pelo menos ter estudado um pouco mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um gado iludido com "função social" do governo.

      Isso aí, confie o seu sustento e da sua família na sua velhice aos políticos, eles vão cuidar bem de você, pode acreditar!

      E faça previdência privada também, afinal os gestores precisam de dinheiro fácil para bancar seus luxos.

      O que eu já precisei ou deixei de precisar não interfere na discussão, anon. Estamos falando de dados, da realidade, de números, não de ilusões e fantasias.

      Abraço!

      Excluir
  13. Cara, você é um servidor público Federal, pode ser que não precise da Previdência. Agora pense na situação de um Severino da vida, sem instrução, sem recursos, sem ter onde cair morto. Você sabe quantas pessoas vivem com um salário mínimo no país? Se estas pessoas por algum motivo perdem a sua capacidade de trabalho, o que fariam sem a previdência ou assistência social? Quando se é um marajá que ganha uma fortuna para não fazer porra nenhuma, é muito difícil se colocar na pele do outro, não é mesmo? Mas enfim, pra quem ganha mais de 10 k por mês é muito fácil ridicularizar o sistema previdenciario do país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é burro assim mesmo ou está de sacanagem?

      Eu não ridicularizei porra nenhuma, não defendi reforma nem nada do tipo. Aprenda a ler, anon. Pra começo de conversa, eu tratei de previdência, não de assistência social, são coisas absolutamente distintas.

      O que eu disse é que ninguém deve confiar em previdência, todos devem se preocupar com seu próprio futuro, ninguém deve delegar essa função para o governo, acreditando que vão ser sustentadas na velhice por uma aposentadoria.

      A previdência é uma farsa, uma fantasia. Ela vai ruir, não importa a reforma que se faça, é um sistema desenhado para o fracasso. Por mais que você ou qualquer imbecil saia por aí defendendo, vai acontecer, não vai ter palavrinha bonita que impeça isso. Contraponha os números prospectivos que eu apresentei, para de birra!

      Seja inteligente, eu sou um dos grandes beneficiados com a atual previdência, se eu não me colocasse na pele do Severino, eu seria mais um desses filho da puta que ficam tentando defender privilégios sob pretexto de estarem defendendo os mais necessitados, igual fazem os sindicalistas e funças em geral.

      A previdência é um esquema estatal de sustentação de privilégios para suas castas (políticos e funças de alto escalão), sugando recursos dos mais pobres.

      Compare os valores médios das aposentadorias dos funças com as do regime geral (vá ler o Boletim Estatístico de Previdência Social), é um absurdo que alguém ache isso normal.

      Abraço!

      Investidor Concursado

      Excluir
  14. E aí IC!

    Excelente post, sucinto e direto. No meu dia a dia eu já cansei de bater boca com muitas pessoas sobre isso, sendo que atualmente eu larguei pra ela e que Deus as ajude.

    Abs.

    Papai dos Investimentos
    http://papaidosinvestimentos.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Papai.

      Quando o assunto é previdência, há duas manadas: uma que é contra a reforma da previdência e outra que é a favor. Ambas ficam debatendo números, déficits, tempo de contribuição, idade mínima, etc., um monte de bullshit.

      Não devemos estar em nenhuma das duas manadas.

      O correto é ter consciência de que a precidência num futuro não muito distante vai ser insustentável de qualquer jeito, não importando qual reforma se faça. Quem puder, cuide de si mesmo, aporte para a velhice e esteja preparado para trabalhar pelo máximo de tempo. Só isso que está ao nosso alcance.

      Abraço!

      Investidor Concursado

      Excluir
  15. Meteu a real! Eu sou da opinião do saudoso Henry Maksoud: não tem que reformar p*rra nenhuma, tem que indenizar quem contribuiu até agora e extinguir a aposentadoria pública.

    Falam que é "maldade" retirar esse "direito" do pobre. Eu acho o contrário, maldade foi fazer o pobre acreditar que a mamata de se aposentar antes dos 60 duraria pra sempre e que o sistema falido e retrógrado do demônio Getúlio Vargas duraria pra sempre!

    Abraços,

    Aspirante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Aspira. Obrigado pela vistita e pelo comentário.

      Volte sempre. Abraço!

      Excluir
  16. "Dessa forma, era possível que as pessoas se aposentassem com 50 e poucos anos, pois receberiam em média por apenas uns 5 anos a aposentadoria. Na verdade, a aposentadoria era um prêmio por ter conseguido viver tanto tempo morando numa latrina subdesenvolvida que mais parecia uma selva repleta de chimpas inúteis."

    Isso é um erro factual que muita gente comete

    Expectativa de vida no Brasil nos anos 50 era baixa por causa dos brutais índices de mortalidade infantil. Criança passar dos 0 anos era já uma vitória, dos 5 anos uma raridade nas camadas mais baixas da população. Isso joga a média para baixo como um todo. Uma pessoa de 50 anos não recebia "em média por 5 anos", ela recebia por muito mais tempo em média, pq ela já havia passado da fase crítica da sobrevivência.

    O que importa é a expectativa de sobrevida, ou seja, quantos anos vamos viver a partir de alcançarmos X anos. A expectativa de sobrevida nos anos 50 para quem passava dos 5 anos era muito parecida com a de hoje. O que joga a média para baixo nos países subdesenvolvidos é SEMPRE mortalidade infantil. Alguns casos mais raros no passado incluíam guerras e peste, mas em geral, são condições sanitárias precárias, ausência de um bom pré e pós natal, e nutrição insuficiente.

    Mas sim, de resto o problema é que havia mais gente para contribuir do que para receber a aposentadoria, e isso está se invertendo rápido.

    https://economia.ig.com.br/2019-01-09/calculo-da-previdencia-sobrevida.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Animal.

      Na verdade, eu conheço sim a diferença entre a expectativa de vida ao nascer e a expectativa de sobrevida e sei que esta última é mais importante quando se trata de previdência.

      Ocorre que:

      1. não existem dados muito confiáveis para tempos pretéritos.

      2. ao contrário do que vc afirmou "A expectativa de sobrevida nos anos 50 para quem passava dos 5 anos era muito parecida com a de hoje", segundo o IBGE, a expectativa de sobrevida em 1950 pra quem tinha 65 anos era de 10,8 anos, em 2015 já estava em 18,4 (tabela 4, página 11):

      ftp://ftp.ibge.gov.br/Tabuas_Completas_de_Mortalidade/Tabuas_Completas_de_Mortalidade_2015/tabua_de_mortalidade_analise.pdf

      Em 2050 deve bater os 30 anos, talvez até mais, dados os avanços exponenciais da medicina.

      3. eu não quis entrar nesse mérito pq pra mim são detalhes muito pequenos diante do quadro geral.

      "Muitos se perdem nas árvores mas não atinam com a floresta"

      Abraço!

      Excluir

Seu comentário é bem-vindo e sua opinião será respeitada.

Para tanto, peço que respeite a mim e aos demais comentaristas, evite floodar e fazer qualquer tipo de comentário que possa prejudicar alguém.

Não me responsabilizo pelos comentários de terceiros.